Empresário

Fernando dos Santos, nascido a 22 de Novembro de 1938, natural da Póvoa de Alcobaça, desde muito cedo se deparou com  os sabores e dissabores que a vida lhe trouxera.

Em 1950, empregou-se no comercio, não tendo oportunidade de prosseguir os estudos, para além dos primários.

Na sua infância e adolescência, vendeu tecido a metro e ajudava numa mercearia, entregando os cabazes de compras às madames em suas casas.

Por esta altura os seus sonhos sobrevoavam por um mundo que não teria que ser o seu, mas depressa descobre que se poderia realizar num GRANDE toureiro, começando a frequentar escolas dessa arte, procurando descobrir os segredos da arte que eternizou Manolete.

Com a garra , fé, determinação, desejo, afición…. que Deus lhe deu, nasce a o 12º matador de toiros  da arte do toureio apeado.

Aos 18 anos Fernando dos Santos já mostrava em frente a rezes bravas a sua enorme bravura e as excelentes qualidades artísticas, exibindo-se em várias praças portuguesas sendo visto pelo grande Pepe Luis Vazques que o protege oferendo-lhe inúmeras tardes de treino, após ter constatado o seu valor e grande vontade de triunfar perante qualquer perigo que lhe pudesse surgir. Em quanto novilheiro arrastava atrás de si multidões de admiradores esgotando as praças onde se exibia.

Fernando dos Santos segue ruma a Espanha, onde consegue nas importantes praças excelentes êxitos onde a experiência o leva  a caminho de um sonho…. A “ ALTERNATIVA” que o sagra matador de  toiros, em Mérida no dia 9 de Outubro de 1966; muitos foram os Portugueses que se deslocaram àquela praça para testemunharem o sonho  que o consagrou definitivamente como matador de toiros, sendo apadrinhado por Vicente Punzon, na Praça Monumental de Madrid, Fernando dos Santos confirma a sua alternativa a 12 de Outubro de 1968, conseguindo enorme êxito tendo  sido apadrinhado por Adolfo Avila (EL Paquiro).

Após a concretização deste desejo, continuou a sua longa caminhada, rumo ao México, obtendo a alternativa Mexicana a 22 de Fevereiro de 1970 apadrinhado pelo famoso Miguel Meteo (Miguelin), atingindo o expoente máximo da sua carreira, conseguindo aí, chegar ao primeiro plano do toureio Mexicano e consagrou-se definitivamente entre as figuras inesquecíveis que pisaram praças mexicanas.

Mas nem tudo foi um mar de rosas, logo seguiram-se as incalculáveis cicatrizes que enfeitam o seu corpo sendo a comprovação de duras cornadas que para além  da dor são símbolo de muita valentia e bravura, de quem empenhava na lide.

Em 1972 regressa a Portugal e inicia um novo capítulo da sua carreira, o de empresário tauromáquico, contudo não deixou de pisar as arenas, onde continuou a alcançar êxitos  sobre êxitos. Em 1982 empenhando-se na valorização e expansão da Festa de Toiros, inaugurou a praça  de toiros, organizando inúmeras corridas, é notável o seu esforço em fazer afirmar as grandes potencialidades da Festa de Toiros como espetáculo de animação turística por excelência  e a prová-lo está  o grande número de corridas que vem realizando no Algarve, onde tem obtido assinalável êxito e oferecido aos muitos milhares de turistas, que demandam aquela privilegiada província, um espetáculo de Gloriosas  tradições.

E “Como parar é morrer”, Fernando dos Santos, no ano de 2014, torna-se Empresário da Praça de Toiros da Nazaré.

Actualmente divide grande parte do seu tempo entre a Praça de Toiros de Albufeira, a Praça de Toiros da Nazaré, a sua ganadaria e a criação de uma coudelaria de raça lusitana, não esquecendo a sua família, pilar fundamental e essencial para a sua alegria e o seu bem-estar.

Reconhecido pelo seu mérito e valor, a Autarquia da sua Terra natal – Alcobaça, vai entregar-lhe, no próximo dia 11 de setembro, no Salão Nobre da Câmara a medalha de Mérito da referida Autarquia.